7 pontos para desafiar nosso coração

1 May 2018

Como líderes, é sempre bom que nós estejamos alinhados. Para isso, nós precisamos examinar e desafiar continuamente nossa forma de pensar, nossa atitude e a condição do nosso coração. Estes são 7 pontos para desafiar nosso coração.

1. Não sirva para cima de um modo e para baixo de outro.
As posições são determinadas por função e não por importância. Não tratar bem aqueles que estão sob sua liderança não é uma atitude do reino. Esse tipo de coração não pode existir dentro da igreja, pois mostra que esse líder é uma pessoa falsa. Todos devemos nos tratar com amor e graça porque ninguém vale mais do que outro.

2. Nós não somos um conjunto de várias equipes, mas sim uma equipe com distintas funções.
“Nosso corpo está dividido em muitas partes. Mas a despeito de tantas partes, ainda é um corpo. Ocorre o mesmo com Cristo.” 1 Coríntios 12:12 (A Mensagem)

Nós não podemos ter uma atitude que, diante de uma necessidade, responde com um “Eu não sou dessa equipe”. Sejamos líderes que reconhecem a necessidade e fazem algo a respeito. A visão é maior do que minha posição na equipe. São as atitudes erradas que limitam e travam aquilo que estamos vivendo como igreja.

3. A condição da sua vida vale mais do que seus dons e talentos.
“Como cooperadores de Deus, insistimos com vocês para não receberem em vão a graça de Deus.” 2 Coríntios 6:1 (NVI)

A graça de Deus é gratuita, mas não é barata; é gratuita para nós, mas para Deus custou tudo. Como líderes, nós devemos viver uma vida íntegra e lembrar constantemente que representamos Cristo e a visão de uma casa. Não limite sua vida vivendo menos do que aquilo que você foi chamado para ser. Deus é um Deus de graça, mas vamos valorizar o preço que Ele pagou por nós.

4. Não viva sua vida sempre no limite.
Cuidar da integridade do nosso corpo físico é nossa responsabilidade. Devemos aprender a viver de maneira saudável. Nenhum de nós está livre da tentação, por isso não devemos viver no limite. Como pastor, eu valorizo a posição que Deus me deu e as pessoas que Ele nos confiou e tenho consciência de que aquilo que eu faço afeta uma geração.

O que Deus tem para sua vida é muito grande para que você venda seu chamado para o inimigo. Nós devemos ser conscientes daquilo que Deus colocou em nossas mãos e ser responsáveis. Nós não devemos viver nossa vida sempre no limite porque é no limite que o inimigo ataca. Viva e pense no nível do seu chamado.

5. Sua equipe/Grupo de Conexão/grupo de amigos não deve ser exclusivo.
“A caminho de Jerusalém, Jesus passou pela divisa entre Samaria e Galileia. Ao entrar num povoado, dez leprosos dirigiram-se a ele.” Lucas 17:11-12 (NVI)

O Reino de Deus não é exclusivo. Jesus veio para incluir os excluídos. Por isso, nós devemos sempre manter nossas portas abertas para outros. Nosso desafio como líderes é sair da nossa comodidade e incluir outras pessoas. A igreja não é um lugar que você frequenta ou visita, mas um lugar a que você pertence. A igreja é para fazermos vida juntos.

6. A familiaridade trava o progresso e limita o que é milagroso.
Quando nós nos tornamos familiares, nós perdemos o fator “uau!”, o fator da surpresa. Nós nunca devemos nos esquecer do nosso primeiro domingo na igreja, e muito menos nos acostumar com o que vivemos hoje, que é um milagre. Nós não podemos nos acostumar com o que Deus fez e continua fazendo em nossas vidas.

7. A paixão não é uma emoção, é uma decisão.
“Por essa razão, torno a lembrá-lo de que mantenha viva a chama do dom de Deus que está em você mediante a imposição das minhas mãos.” 2 Timóteo 1:6 (NVI)

Não reduza paixão a um grupo cultural como é na cultura latina. A fonte da minha paixão é a cruz! A mulher ou o homem que você se tornará em 10 anos já está dentro de você. É sua responsabilidade fazer com que ela/ele desperte. Como seria nossa igreja se todos carregássemos o fardo, contribuíssemos e ganhássemos almas?