Princípios de liderança que não são negociáveis

1 June 2018

Tudo o que fazemos como líderes flui de quem nós somos.

Há princípios de liderança no DNA da nossa igreja que não são negociáveis e que protegem o coração e a saúde da nossa casa. Esses são alguns desses princípios.

1. Ter um espírito de serviço.

Jesus não veio para ser servido, mas para servir. Por que você serve?

Não servimos para “subir”; servimos porque essa é a essência do evangelho.

Um espírito de serviço não serve para se destacar sobre os demais, nem para que os holofotes estejam sobre ele. Um espírito de serviço serve por amor a Deus e por amor às pessoas.

No seu trabalho, você tem um espírito de serviço ou você trabalha porque é pago?
Na sua casa, você tem um espírito de serviço com a sua família?
Um espírito de serviço continuamente dá a sua vida pelos demais.

Ter uma posição de liderança na igreja não lhe dá o direito de abusar de sua autoridade. Nossa posição é um privilégio! Muitos querem ser grandes por dons e oportunidades, não pelo serviço. Nós nunca nos cansamos de servir, nem de viver a segunda milha. Não sejamos cristãos da primeira milha. É quando vamos muito além do que é necessário e do que é esperado que vemos muito mais de Deus para nossa vida e para nossa igreja.

2. Sermos pessoas leais.

É importante sermos leais a nossos companheiros de serviço, nossos líderes e à visão da nossa casa. Nós não vemos a obediência quando tudo está indo bem, mas ela é vista e provada quando não estamos de acordo.

Uma casa com duas visões é uma casa dividida, mas quando todos apontam para o mesmo, nosso alcance é multiplicado! Demonstramos nossa lealdade à visão e à liderança da nossa casa por meio do nosso comportamento e da nossa linguagem.
Sejamos uma equipe de líderes de confiança e vamos construir uma igreja segura, onde as pessoas podem ser vulneráveis e restauradas.

Vamos acabar com as intrigas e as fofocas dentro da igreja. Se nos mantivermos unidos naquilo que estamos edificando, a divisão não poderá entrar.

3. Sermos pessoas íntegras.

A Bíblia nos diz que o nosso “sim” deve ser “sim”, e o nosso “não” deve ser “não”.

Não podemos ter uma vida dupla, vivendo de uma maneira aos domingos e de outra durante a semana. Uma vida íntegra tem mãos puras levantadas ao domingo e mãos puras também durante a semana.

Não vamos vender nosso propósito por uma sensação temporária. Nosso testemunho é nossa responsabilidade. Não vamos vender o que é eterno pelo que é temporário, pois fomos chamados para fazer a diferença.

4. Assumir responsabilidade.

Como pastor, o seu crescimento é minha responsabilidade, mas não completamente. Cada um é responsável pelo seu crescimento espiritual e pela condição do seu coração.

A Bíblia nos diz que, acima de todas as coisas, devemos guardar o nosso coração.
Cada um é responsável pelo terreno do seu coração.
Todo líder é responsável pela maturidade em seu caráter e em sua mente.
Temos que assumir responsabilidade em cada área da nossa vida.
O que você está fazendo para que sua mente seja renovada todos os dias?

5. Carregar o fardo e nos apropriar da visão.

Sejamos líderes que se apropriam da visão da casa.

Se nos tornarmos donos da visão da igreja, vamos cuidar dela como se fosse nossa própria casa. Se vemos a igreja como nossa casa, não vamos hesitar em cobrir necessidades e preencher espaços vazios, pois nossos olhos estarão treinados para ver como podemos ser excelentes.

O carregar o fardo e se apropriar da visão inclui carregar a parte econômica da nossa casa. A provisão para a visão é necessária para poder realizar tudo o que Deus nos chamou para fazer. Se formos obedientes ao colocar Deus em primeiro lugar em nossas finanças, Ele promete abrir as janelas dos céus e derramar sua bênção.

6. Ter uma liderança totalmente focada em Jesus.

Onde está seu foco?
A Bíblia nos diz em Hebreus que devemos nos afastar daquilo que nos faz correr mais devagar. Vamos fixar nosso olhar em Jesus. Como líderes, não servimos a um ministério, uma igreja ou a uma pessoa, mas servimos a Jesus.
Você quer agradar ao homem ou agradar a Deus? Vamos ter o foco certo! Nós não estamos edificando um ministério, e sim a igreja local. Quando mantemos o nosso foco, crucificamos o “eu” constantemente. Nossa liderança e cada aspecto das nossas vidas é sobre Ele e jamais será sobre nós mesmos.

7. Ser exemplo.

Paulo era um líder e as pessoas o seguiam, e por isso ele dizia para que o imitassem assim como ele imitava a Jesus. O que as pessoas viam nele era Jesus.

Como líderes, nós fomos chamados para guiar as pessoas a Jesus e não a nós mesmos.

As pessoas não querem escutar o que você diz; elas querem ver o que você faz. Nós devemos ser exemplo em tudo. Jesus veio para servir e nós também. Que as pessoas possam encontrar em nós bons exemplos do que é servir a Deus.

8. Ter um coração ensinável.

Um coração não-ensinável fala constantemente do passado e de como as coisas são feitas em um contexto diferente.

Um coração ensinável sabe desaprender aquilo que aprendeu para poder aprender algo novo.

Como igreja, nós temos nossa visão, nossos métodos e nossas maneiras. Nós não somos melhores ou piores, mas diferentes.

Um coração ensinável cria o espaço para aprender algo novo.
Ter um coração ensinável não é negociável.
Sejamos líderes que não pretendem saber tudo, mas que sempre querem aprender!